• Cnutrir

Botulismo alimentar: o perigo das conservas caseiras

Alimentos como palmito, carnes em conserva, picles, compotas de frutas, salames e frutos do mar são deliciosos e facilitam muito o dia-a-dia, devido à facilidade de armazenamento. Mas, se mal processados ou conservados de forma inadequada, eles podem representar um grande perigo para a saúde. Isso acontece porque esses produtos, normalmente vendidos em vidros e latas, podem estar infectados com uma bactéria chamada Clostridium botulinum, que pode formar toxinas e provocar o botulismo, uma séria intoxicação alimentar, que embora seja pouco frequente, é potencialmente mortal.

As conservas caseiras estão entre os alimentos que oferecem maior risco à população consumidora, uma vez que são mais passíveis a falhas durante o processamento, mas outros alimentos como embutidos, salsichas e derivados de leite enlatados podem ser fonte de contaminação para o homem. Os clostrídios estão amplamente distribuídos na natureza e chegam aos alimentos devido a falhas de boas práticas durante o processamento. As condições ideais para que a bactéria produza suas toxinas são principalmente a anaerobiose, pH alcalino ou próximo do neutro (4,8 a 8,5) e atividade de água elevada. Muitos casos de botulismo de origem alimentar ocorreram após as pessoas comerem alimentos enlatados, conservados ou fermentados que estavam contaminados com toxinas. Os alimentos foram contaminados porque não foram processados corretamente .

As medidas a seguir podem ajudar a evitar o botulismo transmitido por alimentos:

1. Cozinhar alimentos a temperatura acima de 74º C por 30 minutos.

2. Ferver os alimentos em conserva feitos em casa, durante 10 minutos, para destruir as toxinas.

3.Desprezar alimentos em conserva que estejam desbotados ou com cheiro ruim

4.Desprezar latas que estejam estufadas ou vazando (latas de leite, fórmulas, etc.)

Fonte original: Foodsafetybrazil.org




107 visualizações